Arquivo para Montréal

volta ao mundo em 80… cervejas

Posted in itinerários with tags , , , , on 09/08/2011 by coelhoraposo

Além de experimentar cozinhas do mundo todo no Canadá, nada como dar uma volta ao mundo através de… cervejas? Sim, algo como uma volta ao mundo em 80 cervejas.

Bem, não foram 80 cervejas. Mas eu bem que bebi, quer dizer, tentei. Registradas foram 28 mas faltam algumas que não lembro mesmo, culpem a azeitona das empadas!

fotos com o filtro "lomo-fi", do aplicativo instagram para iPhone

Delirium Tremens (Bélgica), Kronenbourg 1664 (França), Tyskie (Polônia), Stella Artois Légère (Bélgica), Gösser Marzen (Áustria), Spate Pils (Alemanha),  Warsteiner Premium Verum (Alemanha), Pilsner Urquell (República Checa), Löwenbrä Original (Alemanha), Staropramen (República Checa), Amsterdam (Canada), DAB Original (Alemanha), König Ludwig Weissbier (Alemanha), Erdinger Weissbier (Alemanha), Zywiec (Polônia), Steam Whistle (Canadá), Czechvar (Rep. Checa), Tsingtao (China), Grolsch Premium Lager (Holanda), Tuborg (Dinamarca), Duvel (Bélgica), Samuel Adams (EUA), Ciuc (Romênia), Stiegl (Áustria), Peroni Nastro Azzurro (Itália), Sapporo (Japão), Asahi (Japão), Okocim (Polônia), Radeberger (Alemanha)…

Muitas delas tem reviews no portal do cervejeiro, o brejas. Não concordo com algumas, mas AINDA não tenho o nível do pessoal de lá. Mas dar uma nota alta para a Steam Whistle me pareceu bem exagerado…

comer beber viver – première partie

Posted in Genealogias de minhas paixões, itinerários with tags , , , , , , on 27/07/2011 by coelhoraposo

“Só duas coisas têm valor na vida, comida e bebida…”

Comida e bebida

 (Zé Miguel Wisnik/Zé Celso Martinez Correa)

Cada dia da viagem ao Canadá foi marcado por refeições memoráveis (ok, outras nem tanto). Por isso resolvi fazer um diário de tudo que experimentei por lá. Caso algum leitor deste blog resolva se aventurar por Montréal e Toronto, aqui estão algumas dicas de ótimos lugares para conhecer e alguns poucos para passar bem longe. Bom apetite!

Montréal

Poutine Elvis (poutine é basicamente um prato de batata frita com queijo e molho. O Elvis é com carne, cogumelos e pimentão) no Resto La banquise; rigatoni SAFADO na Napoli Pizzeria; almoço indiano inspirado no Dévi, um verdadeiro banquete chinês no Restaurant Beijing, frango com purê de batata doce da dona Erica, uma inesperada visita ao badalado Au Pied de Cochon, do chef/ogro Martin Picard para um jantar memorável (“bolinho de bacalhau”, salsicha defumada, carpaccio de pato e o Potée du Pied De Cochon – vários cortes suínos com purê de batata e cogumelos). Mesmo assim fiquei com vontade de provar o que tinha escolhido, mas que não tinha no dia: Pied de Cochon farci au foie gras, algo como porco recheado de foie gras. Fica pra próxima. Segue foto do Potée…:

Primeiro, o Potée du Pied de Cochon. Depois, orgasmos gastronômicos múltiplos.

Depois foi dia de muito (mas muito mesmo) mexilhão no Biéres et Compagnie, acompanhado, é claro, de batata frita; um “básico” risoto de tomates e manjericão preparado mais uma vez pela dona Erica; e, por fim, um honesto sanduíche de pernil no Kafein, que acabou virando lanche de viagem para o retorno a Toronto.

literalmente uma panela de mexilhões no Biéres et Compagnie

*  *  *

PS. um prato vale uma menção honrosa: Tête de cochon pour 2, ou seja, cabeça de porco para duas pessoas. Mesmo sem ter provado, ficamos hipnotizados pelo prato, seja pela ogrice, pela apresentação e pela lagosta (!!!) colocada na cabeça do porco. Coisas que só o tal wild chef poderia fazer. O pior: parece assustadoramente delicioso. Fica pra próxima!

único registro desse prato altamente... bizarro! (clique para ampliar)

Fotos por Erica.