Arquivo para Elis Regina

elis & nara. nara & elis.

Posted in homenagens, musique non stop with tags , , , , , , , on 19/01/2012 by coelhoraposo

No dia 19 de janeiro de 1982, Nara Leão completou 40 anos de idade.

No dia 19 de janeiro de 1982, Elis Regina morria aos 36 anos de idade.

Hoje, 30 anos depois da morte de Elis, Nara completaria 70 anos, caso o câncer não a tivesse levado.

Elas formam as duas faces da revolução que a década de 60 representou na música brasileira. Foram rivais históricas, a imprensa da época registrou as inúmeras alfinetadas que Elis dava em Nara, acusando-a de “trair todos os movimentos” aos quais ela se associava. Nara nunca foi uma grande cantora, ao contrário do vulcão em permanente erupção que era Elis. Mas Nara era inteligente e tinha o feeling musical que Elis construiu ao longo de sua carreira. Nara abraçou a bossa nova, o morro, a jovem guarda, o tropicalismo. Elis não gostava muito do novo. Nara era elétrica. Elis, acústica. Até no amor, elas foram de certa maneira rivais: Ronaldo Bôscoli foi o grande amor da juventude de ambas. Nara, irrequieta, calculava seus passos musicais. Elis, dona de uma potência vocal única, fazia os compositores irem atrás dela. A grande guinada de Elis se deu quando já era uma cantora estabelecida (graças ao marido e maestro, César Camargo Mariano). A guinada de Nara se deu antes mesmo do primeiro álbum dando voz ao morro e abandonando o “amor, o sorriso e a flor” da Bossa Nova.

Morreram jovens. Fizeram muito.

Que tenham feito as pazes, porque elas foram o yin e yang da música brasileira.

top 5 – cantoras brasileiras (update!)

Posted in listas, musique non stop with tags , , , , , , , , , on 13/08/2010 by coelhoraposo

já que este blog está numa fase de listas musicais, aqui vai a das cantoras brasileiras:

ATENÇÃO! Retirei Elis Regina da lista porque, mesmo sabendo que toda unanimidade é burra, toda regra tem sua exceção e no caso, Elis é unanimidade, é hors-concours!

  • Elizeth Cardoso – bem ela é A divina, né? Precisa dizer mais?;
  • Elza Soares – precisa explicar?
  • Gal Costa – pela capacidade de ser a porta-voz de toda uma geração e carregar o tropicalismo nas costas, na sensualidade e na voz;
  • Maria Bethânia – por ser a Maria Bethânia;
  • Nara Leão – porque além de ser uma fofíssima ela tinha um talento cerebral e um poder aglutinador fantásticos.

Mênção honrosa para Ná Ozzetti porque é a única cantora surgida nos últimos 30 anos que realmente tem curriculum, talento e merecimento para pleitear uma sexta vaga na lista acima.