estatísticas

Posted in nonsense, qualquer bobagem on 29/06/2012 by coelhoraposo

O mês de junho está chegando ao fim e todos as postagens geniais que eu tinha planejado não sairam do plano das ideias. Me deu uma tristeza ver hoje na página de estatísticas deste blog que minha audiência despencou neste mês! Assim não cumpri a meta de crescimento que tinha estipulado em dezembro de 2011 e que estava sendo cumprida a contento por este escriba de araque.

Volto ao número de acessos de fevereiro. Mas tenho pelo menos 3 postagens fantásticas, inigualáveis e transformadoras para os próximos dias. Quem sabe julho não reserva uma explosão de acessos? Até porque julho vai ser o mês da viagem das férias. Tudo bem, é só no fim do mês, mas os preparativos merecem registro. Mas por ora, deixemos junho acabar, passemos a régua e zeremos o taxímetro.

E se você, incauto leitor, chegou até aqui, PARABÉNS!!! Você ganha um sorriso, porque essa postagem é só pra encher linguiça mesmo.

=)

quadratura do círculo

Posted in Divã, itinerários with tags , , , , , , , , , , , , on 09/06/2012 by coelhoraposo

Há algum tempo percebo que algumas personagens da ficção dizem mais sobre mim do que eu poderia supor. Assim, tal como a inglória tentativa de um matemático em criar um quadrado a partir de um circulo, acho que finalmente encontrei os quatro vértices dessa figura geométrica que poderia representar minha vida (ou pelo menos a forma como me relaciono com o mundo):

  • Rob Fleming (de Alta Fidelidade) e sua insatisfação crônica – o protagonista do romance de Nick Hornby, tem o sobrenome trocado para Gordon na adaptação cinematográfica dirigida por Stephen Frears;
  • Jean Sorel (de O Vermelho e o Negro, romance magistral de Stendhal) e sua ambição por vezes desmedida;
  • Lawrence Breaveman (de The Favourite Game, romance de Leonard Cohen) e sua irresponsabilidade afetiva e, por fim;
  • Antoine Doinel (alter-ego de Truffaut em 5 de seus filmes) e seu romantismo pseudo-intelectual que, no fundo, esconde um canastrão de última…

astronauta de mármore (40 anos depois…)

Posted in canções fundamentais, homenagens, musique non stop with tags , , , on 06/06/2012 by coelhoraposo

No dia 06 de junho de 1972, ou seja, há exatos 40 anos, era lançado o seminal álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars”, quinto álbum de estúdio do jovem David Bowie (25 anos e 5 álbuns nas costas, que tal?) que, enfim, o lançou ao estrelato.

Portanto, façam um favor a vocês mesmos e escutem este que é um dos melhores álbuns da inventiva carreira do camaleão Bowie.

(e claro, esqueçam a versão do Nenhum de Nós que dá título a este post)

… And Ziggy played guitar!

House M.D. (2004 – 2012)

Posted in Genealogias de minhas paixões, homenagens with tags , , , , , , , on 28/05/2012 by coelhoraposo

Diz o ditado que “tudo o que é bom dura pouco”. Se considerarmos que 8 anos e 176 episódios se passaram desde a estreia em 2004, House M.D. quebrou a regra. Uma série memorável que tinha em seu ator principal, sua grande força motriz. Hugh Laurie, ator da linhagem dos grandes comediantes britânicos porém desconhecido do grande público, fez dupla com o igualmente excelente Stephen Fry, em A Bit of Fry and Laurie e protagonizou alguns papéis memoráveis no cinema, como em Para o Resto de Nossas Vidas (1992), de Kenneth Branagh. Mas foi com o misantropo gênio da medicina Gregory House, que Laurie se reinventou, compondo um dos melhores personagens da história daTV americana.

O último episódio foi ao ar na última segunda-feira e abre mais um buraco na minha já tão furada agenda de seriados. Mesmo com todos os problemas de um seriado com tamanho sucesso – principalmente das duas últimas temporadas (roteiros fracos, temas batidos, desfechos equivocados para agradar a audiência etc), House sempre era o seriado que mais me causava aquela sensação de “oba! hoje tem House”.

Enfim, hoje é novamente segunda-feira. Mas não, hoje não tem House.

****

E já que eu mencionei o A Bit of Fry and Laurie, um pouco de humor nonsense para animar o início da semana:

Sónar São Paulo

Posted in itinerários, musique non stop with tags , , , , , , , on 08/05/2012 by coelhoraposo

Nos próximos dias 11 e 12, acontecerá a primeira edição completa do Sónar no Brasil. O Festival Internacional de Música Avançada e New Media Art, que tem nome completo pomposo e sotaque catalão – já que sua origem está em Barcelona (onde ocorrerá sua décima-nona edição neste ano); desembarcará no Anhembi trazendo muita coisa bacana para ver, ouvir e sentir.

A estrela da primeira noite cancelou sua apresentação por motivos de saúde: Björk está com as cordas vocais inflamadas e deu um tempo na cantoria. Para o seu lugar, os incríveis senhores germânicos do Kraftwerk foram convocados. Ponto para a produção do festival que não deixou por menos e trocou uma estrela de primeira grandeza por quatro.

Mas como nem tudo são flores, estava eu tentando montar minha agendinha de shows para não ficar perdido entre tantas opções e cheguei a um dilema, um dilema que tem dia e horário para acontecer, a saber, sábado, 12 de maio, 22h: praticamente no mesmo horário, cada um dos três palcos do festival apresentará um show que promete ser fantástico.

No palco SonarClub, às 22h, Cee Lo Green, em projeto solo (ele é a voz do Gnarls Barkley) entra em ação com seu soul de roupagem pop-energizante.

Já no palco SonarVillage, no mesmo horário, o incensado Flying Lotus (o produtor tem dois de seus três álbuns com o selo “best new music” do portal Pitchfork.com), apresenta seu trabalho.

Por fim, no palco SonarHall, meia hora depois, o quinteto escocês Mogwai, traz seu rock experimental para abrilhantar o festival.

E agora, José?

Cee Lo Green em seu hit-chiclete:

Flying Lotus:

Mogwai e seu trip-rock:

barreira psicológica

Posted in nonsense with tags , , , , on 07/05/2012 by coelhoraposo

Semana passada a Sotheby’s leiloou uma das quatro versões de O Grito, de Edvard Munch por incríveis 119 milhões de dólares. Não me estenderei aqui sobre o valor da arte no mundo de hoje porque está claro que o mercado de arte não tem lógica nenhuma. Mas foi interessante notar o que um representante da famosa casa de leilões disse ao referir-se ao valor alcançado: “o importante foi romper a barreira psicológica dos 100 milhões…”

Barreira psicológica? Engraçado que esse linguajar é bem corrente no mercado financeiro, o que por si só já não faz algum sentido. Mas enfim, eu mesmo estou tentando há mais de 1 mês romper a barreira psicológica dos 72 kg. Mas com a readequação que o nutricionista fez na minha dieta, agora consigo rompê-la. Veremos.

Em resumo, cada qual com a sua barreira psicológica…

túnel do tempo

Posted in Genealogias de minhas paixões, homenagens with tags , , , on 03/05/2012 by coelhoraposo

Aos doze dias do mês de maio do ano de mil novecentos e doze, o goleiro Baena; os zagueiros Píndaro, Nery, Curiol, Gilberto e Galo; os meio-campistas Bahiano, Arnaldo e Amarante e, finalmente, os atacantes Gustavo de Carvalho e Borgerth, pisaram no gramado do Estádio da Rua Campos Sales para enfrentar o Sport Club Mangueira em jogo válido pelo Campeonato Carioca de Futebol. O time formado por estes jogadores fazia sua estreia nos gramados. Este time venceu o Mangueira por 15 x 2. Este time carregava a primeira versão do manto rubro-negro (conhecida como “papagaio-vintém”). Este time carregava o nome de Clube de Regatas do Flamengo.

Hoje o Flamengo comemora o centenário desse momento histórico. Se o momento que a Nação vive hoje não é dos melhores, talvez seja interessante voltar para a história e perceber que o Flamengo é muito maior do que ronaldos, joéis, patrícias e tantos outros que não honram o clube que dizem defender: em cem anos de futebol, o Brasil e o mundo já esteve sob os nossos pés. Está mais do que na hora de colocar estes pés rubro-negros sobre a bola que este mundo é.

Saudações Rubro-Negras!

EM TEMPO: Agradeço ao Carlos Alexandre Monteiro, do blog Mil Vezes Flamengo, por lembrar uma das datas mais importantes da história do Flamengo; e também ao Flapédia, pela escalação e informações do primeiro jogo (mesmo que o placar não bata com o informado no hotsite oficial do centenário)