as novas “mothers of prevention”


Um dos grandes avanços oriundos do advento da internet é o acesso a informação. E o fato de mais uma vez o Congresso norte-americano ter a ousadia de achar que pode e deve controlá-la beira ao risível (o que é repetido em muitos lugares como no Brasil, vide o projeto de Eduardo Azeredo). No entanto, agora eles encontraram uma brecha e levantaram a bandeira da pirataria, da ilegalidade da troca livre de informação. O SOPA, sigla de Stop Online Piracy Act, que está para ser votado nos EUA é um retrocesso sem tamanho. Não conheço muito bem do assunto, mas o simples fato de quererem penalizar criminalmente qualquer site que faça referência a conteúdos protegidos pela ultrapassada noção do copyright, me soa um absurdo sem limites…

Assim como foi um absurdo sem limites as mobilização na década de 80 contra as letras da música pop. O PMRC (ou Parents Music Resource Center), capitaneado pela esposa do então senador Al Gore, Tipper Gore, conseguiu fazer aprovar a lei que obrigou a todas as gravadoras a exibirem o infame selo abaixo:

O argumento das senhoras pudicas norte-americanas era que as letras de músicas do rock estavam incitando a violência e chegando a causar o aumento das taxas de estupro (!!!) em todo o país. O artista que tomou a frente contra a lei que objetivava indicar o que poderia e o que não poderia ser ouvido pelos jovens estadunidenses altamente impressionáveis pelo nefasto rock’n’roll foi o inigualável (musical e politcamente) Frank Vincent Zappa, que exigiu testemunhar no Senado norte-americano para fazer com que todos ouvissem o absurdo que estava sendo engendrado. Foi ouvido, de pouco adiantou. Mas fez sua parte. E um disco, “Frank Zappa Meets The Mothers of Prevention” (1985), que inclusive contém trechos de seu depoimento ao Comitê de Comércio do Senado dos EUA.

Ai, a falta que um Frank Zappa faz…

Leia aqui a transcrição da audiência

PS. Vale o registro de que “Jazz From Hell” (1986), mesmo sendo um álbum intrumental – repito INSTRUMENTAL; recebeu o “Tipper Sticker” (uma referência a espose de Al Gore) de Explicit Lyrics.

PS2. A capa de “Frank Zappa Meets The Mothers Of Prevention” traz um selo de advertência/garantia genial:

WARNING/GUARANTEE: This album contains material which a truly free society would neither fear nor suppress.
In some socially retarded areas, religious fanatics and ultra-conservative political organizations violate your First Ammendment Rights by attempting to censor rock & roll albums. We feel that this is un-Constitutional and un-American.
As an alternative to these government-supported programs (designed to keep you docile and ignorant). Barking Pumpkin is pleased to provide stimulating digital audio entertainment for those of you who have outgrown the ordinary.
The language and concepts contained herein are GUARANTEED NOT TO CAUSE ETERNAL TORMENT IN THE PLACE WHERE THE GUY WITH THE HORNS AND POINTED STICK CONDUCTS HIS BUSINESS.
This guarantee is as real as the threats of ther video fundamentalists who use attacks on rock music in their attempt to transform America into a nation of check-mailing nincompoops (in the name of Jesus Christ). If there is a hell, its fires wait for them, not us.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: